Fundamental Anos Iniciais

Escola
Leitura

“A infância é o tempo de maior criatividade na vida de um ser humano

J. Piaget

alunos
dezembro 31, 2018

Referências

Os fundamentos que orientam a educação brasileira estão definidos constitucionalmente no artigo 1º da Constituição Federal, que trata dos princípios fundamentais da cidadania e da dignidade da pessoa humana, do pluralismo político, dos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa. Nessas bases, assentam-se os objetivos nacionais e, por consequência, o projeto educacional brasileiro: construir uma sociedade livre, justa e solidária; garantir o desenvolvimento nacional; erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais; promover o bem de todos sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

A Educação é direito universal e alicerce indispensável para a capacidade de exercer em plenitude o direto à cidadania. É o tempo, o espaço e o contexto em que o sujeito aprende a constituir e reconstituir a sua identidade, em meio a transformações corporais, afetivoemocionais, socioemocionais, cognitivas e socioculturais, respeitando e valorizando as diferenças. Liberdade e pluralidade tornam-se, portanto, exigências do projeto educacional. O conceito de qualidade na escola, numa perspectiva ampla e basilar, remete a uma determinada ideia de qualidade de vida na sociedade e no planeta Terra.

dezembro 31, 2018
dezembro 31, 2018

Diretrizes

A Educação Básica de qualidade é um direito assegurado pela Constituição Federal e pelo Estatuto da Criança e do Adolescente. As diretrizes que estabelecem a base nacional comum, responsável por orientar a organização, articulação, o desenvolvimento e a avaliação das propostas pedagógicas de todas as redes de ensino brasileiras.

Estas diretrizes deve contribuir, sobretudo, para o processo de implementação pelos sistemas de ensino das Diretrizes Curriculares Nacionais específicas, para que se concretizem efetivamente nas escolas, minimizando o atual distanciamento existente entre as diretrizes e a sala de aula. Para a organização das orientações contidas neste texto, optou-se por enunciá las seguindo a disposição que ocupam na estrutura estabelecida na LDB, nas partes em que ficam previstos os princípios e fins da educação nacional; as orientações curriculares; a formação e valorização de profissionais da educação; direitos à educação e deveres de educar: Estado e família, incluindo o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) Lei nº 8.069/90 e a Declaração Universal dos Direitos Humanos.

dezembro 31, 2018
dezembro 31, 2018

Objetivos

Compreender e realizar a educação, entendida como um direito individual humano e coletivo, implica considerar o seu poder de habilitar para o exercício de outros direitos, isto é, para potencializar o ser humano como cidadão pleno, de tal modo que este se torne apto para viver e conviver em determinado ambiente, em sua dimensão
planetária. A educação é, pois, processo e prática que se concretizam nas relações sociais que transcendem o espaço e o tempo escolar.

A educação destina-se a múltiplos sujeitos e tem como objetivo a troca de saberes, a socialização e o confronto do conhecimento, segundo diferentes abordagens, exercidas por pessoas de diferentes condições físicas, sensoriais, intelectuais e emocionais, classes sociais,
crenças, etnias, gêneros, origens, contextos socioculturais, e da cidade, do campo e de aldeias. Por isso, é preciso fazer da escola a instituição acolhedora, inclusiva, pois essa é uma opção “transgressora”, porque rompe com a ilusão da homogeneidade e provoca, quase
sempre, uma espécie de crise de identidade institucional.

dezembro 31, 2018
dezembro 31, 2018

Método

Toda política curricular é uma política cultural, pois o currículo é fruto de uma seleção e produção de saberes: campo conflituoso de produção de cultura, de embate entre pessoas concretas, concepções de conhecimento e aprendizagem, formas de imaginar e perceber o mundo. Assim, as políticas curriculares não se resumem apenas a propostas e práticas enquanto documentos escritos, mas incluem os processos de planejamento, vivenciados e reconstruídos em múltiplos espaços e por múltiplas singularidades no corpo social da educação.

Na organização e gestão do currículo, as abordagens disciplinar, pluridisciplinar, interdisciplinar e transdisciplinar requerem a atenção criteriosa da instituição escolar, porque revelam a visão de mundo que orienta as práticas pedagógicas dos educadores e organizam o trabalho do estudante. Perpassam todos os aspectos da organização escolar, desde o planejamento do trabalho pedagógico, a gestão administrativo-acadêmica, até a organização do tempo e do espaço físico e a seleção, disposição e utilização dos equipamentos e mobiliário da instituição, ou seja, todo o conjunto das atividades que se realizam no espaço escolar, em seus diferentes âmbitos.

dezembro 31, 2018
dezembro 31, 2018

Base Nacional Comum

Entende-se por base Nacional comum, na Educação Básica, os conhecimentos, saberes e valores produzidos culturalmente, expressos nas políticas públicas e que são gerados nas instituições produtoras do conhecimento científico e tecnológico; no mundo do trabalho; no desenvolvimento das linguagens; nas atividades desportivas e corporais; na produção artística; nas formas diversas e exercício da cidadania; nos movimentos sociais, definidos em leis.

As tecnologias da informação e comunicação constituem uma parte de um contínuo desenvolvimento de tecnologias, a começar pelo giz e os livros, todos podendo apoiar e enriquecer as aprendizagens. Como qualquer ferramenta, devem ser usadas e adaptadas para servir a fins educacionais e como tecnologia assistiva; desenvolvidas de forma a possibilitar que a interatividade virtual se desenvolva de modo mais intenso, inclusive na produção de linguagens. Assim, a infraestrutura tecnológica, como apoio pedagógico às atividades escolares, deve também garantir acesso dos estudantes à biblioteca, ao rádio, à televisão, à internet aberta às possibilidades da convergência digital.

dezembro 31, 2018
Escola

Planejamento

O ato de planejar exige uma percepção apurada da realidade. Ou seja, é necessário conhecer aquilo que se deseja planejar antes de iniciar os procedimentos necessários. No planejamento pedagógico não é diferente. Quais são os objetivos da escola? E os seus valores? O que deseja alcançar? Quem é o seu público? Essas informações possibilitam que o planejamento em si esteja mais conectado com a realidade na qual a instituição está inserida.
O planejamento pedagógico organizado e bem estruturado norteia a atuação da instituição de ensino e com certeza traz bons resultados para o processo ensino aprendizagem.

Escola

Formação

Para se adequar às demandas da sociedade atual, a educação brasileira vem passando por contínuas transformações que impactam diretamente a formação do professor, construindo um novo perfil de docente: multifacetário e aberto para o aprendizado contínuo.
Entretanto, essas são apenas algumas das características do professor do século XXI. A inserção da tecnologia no ensino, assim como as significativas melhorias na base curricular, ajudam a desenvolver a ideia de um profissional que, para se destacar, precisa atender a uma realidade que requer conhecimentos muito além do saber teórico.
A formação centrada em atualizações contínuas e na humanização do ensino, entre outros fatores, constrói um novo retrato de educador!

Escola

Acompanhamento

Segundo FREIRE (1996, p.45) “o que importa, na formação docente, não é a repetição mecânica do gesto, este ou aquele, mas a compreensão do valor dos sentimentos, das emoções, do desejo, da insegurança a ser superada pela segurança do medo que, ao ser educado, vai gerando a coragem”. 
O acompanhamento pedagógico tem como principal objetivo orientar o processo de aprendizagem individual de acordo com as necessidades de cada profissional e estudante. Esse é um grande desafio para as escolas, que ainda têm a carga histórica do ensino padronizado, e precisam quebrar paradigmas para considerar o tempo de cada profissional e aluno e as diversas formas de aprender e ensinar.

Formadores do Ensino Fundamental Anos Inicias

6 a 10 anos e 11 meses – Anos Iniciais (1°, 2°, 3º, 4º e 5º anos do Ensino Fundamental I)

O Ensino Fundamental I segue as orientações da Secretaria Municipal de Educação, aplicadas através de disciplinas específicas (português, matemática, história, geografia, ciências, cultura afro, educação ambiental, formação para a cidadania, artes e educação física), onde são desenvolvidos os conteúdos adaptados a cada fase do desenvolvimento do aluno.
A proposta de trabalho considera ainda fundamental que através destes conteúdos os alunos sejam desafiados a alcançarem sua autonomia e independência para sua vida prática e diária. 

Números do Ensino Fundamental I

Matrícula

751

Turmas

54

Documentos do Ensino Fundamental

Calendário
Escolar

Mapa
Curricular

Referenciais Curriculares Estado do Ceará

Diretrizes Curriculares
Educação Básica

Base Nacional Comum BNCC

Educação para todos não é viabilizada por
decreto, resolução, portaria ou similar, ou seja, não se efetiva tão somente por meio de prescrição
de atividades de ensino ou de estabelecimento de parâmetros ou diretrizes curriculares:
a educação de qualidade social é conquista e, como conquista da sociedade brasileira, é
manifestada pelos movimentos sociais, pois é direito de todos.

Fundamental